segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Anos depois...

Depois de tudo que aconteceu
eh difícil dizer/assumir que esqueci.
Como se fosse simples!?
Em outrora banal!?

As vezes a gente sonha...relembra,
e acorda com vontade, varias delas.

mas e agora?

saudade...
das tardes por entre encontros na praca,
das noites quentes em algum lugar perdido do mundo,
das promessas sinceras,
das brigas por ciúmes ou coisa assim.
da sua maneira engraçada de lhe dar
com o mundo...

saudade...
do seu corpo, baby,
das suas cartas pefumadas,
das suas frases desconexas sobre mim,
do seu olhar tentacao,
de quando sonhavamos juntos.

saudades...

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Not money...

 - Vc e suas apresentacoes,
ainda por cima, é mesmo.
Muito boa.
Não perderia o show
Nao perderia.


- Ate parece!


- é a terceira vez que voce me fala isso
e sempre esquece...
e quem merece ganhar um show?
está ao vivo!


- Sem dinheiro, sem amor.










terça-feira, 23 de novembro de 2010

E no fim...

Do dia pra noite,
da noite pro outro dia.
Acabei e comecei.
 Me afundei
onde todos sao tao legais!?
Moderadamente eficazes,
alguns casuais e ridiculamente esquisitos...
Os entao desjados ventos sopram,
trazendo poeira, whyski e vinho...cigarros
trazendo angustia, aflicao e frio...cigarros
Trazendo tambem quem nao me faz rir!

Apenas te perdi
me perdendo,
procurando um certo brilho no escuro...
pra talvez ficar bem,
talvez me sentir alguem,
talvez lembrar de ninguem.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Atribuição, compartilhamento pela mesma licença

Tudo parece tao certo,
tudo tao correto.
As vezes confude..e como nao?
Os abracos, as bebidas, os cigarros, os beijos...
copos quebrados e a eterna auto-censura de viver...

Onde estah voce?
Apareca!

E se tudo for ilusao?
E se nao acabar tao rapido?
Oq fazer? eterna duvida do sabio...do sádico.
O QUE FAZER???

Nem tudo perdido,
nem eu, nem voce.
Revolta ao tedio, revolta a tristeza...
revolta ao excesso do exceder excedente!
Excedido, ja!

Genialidade rara, dilemas estúpidos, oq fazer?



quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Força-motriz

Areia,
mar gelado nos pes...
quase sempre a luz da lua deita sobre o mar
trazendo consigo todas as melodias da noite.

Teu sorriso brilhava.
Eu so queria assistir vislumbrado... o quanto eh belo.
Pernas trêmulas, ora do frio, ora das maos geladas
escorregando corpo a dentro.
Rostos com ressaca das aguas.
Mergulhado, detido, estreito, afoito...pelo desejo.

Nao saberia lhe contar,
nao saberia refazer.
Os graos de areia que caia do meu cabelo,
sobre os corpos descobertos se tornaram
os melhores vestígios, mas nunca os unicos...

Gotas do mar...
Estrelas no ceu...
cúmplices dos amores inquietos,
quase sempre modernos.
Uma obscuridade que nos convoca.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Brindar, naufragar...

Chuva caindo,
mais um dia passando,
e estamos outra vez aqui...
Saberia o segredo dos seus olhos,
se nao me perdesse no seu sorriso,
no beijo doce, 
nos seus seios,
no meu paladar.
O sol agora ja aparace,
ao poucos clareando o espaco,
onde agora vamos brindar

Aos amores que ainda temos
e aos que perdemos.
Um brinde!
Naufraguemos no mundo!!!!

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Num instante...

Nada de doces
nada de flores,
nem sorrisos,
nem amores.
O que te pedi?
Apenas apareça
e ja apareceu...nesse instante.
E some quando me quer,
E agora?

Nada de doces,
nem buque de rosas.
Vermelhas ou brancas.
Nada de amor,
nem nada que me leve sentir alegria.
Nada de rancores, nem agonia,
Muito menos tristeza…
Apenas compareca…
E me mostre…
Você.
Você.
Você.

Nada de vinho, champanhe e cigarros…
Entre seus beijos e abraços.
Comovido, sem ouvir,
Distanciado ao me sentir apenas um ser...
Sincero.
Exposto as mil e uma loucuras que seu olhar me permite sonhar...